A Convenção Nacional do Patriota (51), foi marcada pela falta de articulação do Presidente Adilson Barroso e de críticas duras feitas por Ovasco Roma (Vice-Presidente Nacional do Patriota e Fred Costa, Deputado Federal por Minas Gerais e líder da bancada

A Convenção Nacional que ocorreu no último dia (31) foi marcada com muita discussão e demonstrou a fragilidade do Presidente Adilson Barroso em construir uma situação favorável para receber o Presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

O partido estava sendo cogitado para receber o Presidente Bolsonaro em uma possível candidatura a reeleição, mas o clima de tumulto e ofensas demonstraram a fragilidade do atual presidente do partido e pode ter afastado o Presidente.

Na oportunidade, Adilson Barroso pediu pela aprovação de mudanças significativas no Estatuto do Partido, que segundo ele, em vídeo recebido por nossa edição, influenciaria a escolha do Presidente para vir ao Patriota.

O Senador Flávio Bolsonaro, por meio de chamada remota, pediu aos membros presentes que o ajudassem a partir das eleições de 2022 a construir o maior partido do País e pediu que fosse aprovado as mudanças sugeridas.

Ovasco Roma, vice-presidente da legenda, afirmou que o atual presidente Adilson Barroso está marcando sua gestão com autoritarismo e desserviço ao partido e ao País. Apontou erros na condução de decisões e que muitas delas serão tratadas na justiça.

O Deputado Federal Fred Costa fez um discurso forte e deixou claro seu descontentamento com a forma que o partido vem sendo conduzido. Lembrou o presidente Adilson que logo após ter dado sua palavra a ele na questão da direção do partido em Minas Gerais, agiu de forma contrária, faltando com a palavra e com isso, perdendo ainda mais credibilidade.

Disse ainda que o Presidente Jair Bolsonaro é bem-vindo e seria muito bem recebido por ele, lembrou de votações feitas por ele em pautas propostas pelo governo federal e que ele acredita que eram benéficas para a população. No entanto, disse que o atual presidente com sua política individual em desacordo inclusive com o próprio estatuto do partido, criou uma divisão no partido que não ajuda a construção desta vinda de Bolsonaro.

O segundo vice-presidente nacional do partido, pelo Maranhão, Marreca Júnior falou de seu descontentamento com a condução do partido e com as decisões autoritárias do presidente.

Adilson Barroso convidou o Dr. Fernando para redigir os trabalhos e embora Jorcelino Braga atual Secretário Geral do Partido estivesse presente na convenção o impediu de atuar em suas prerrogativas estatutárias.

O presidente Adilson Barroso saiu fortemente criticado por alguns diretores presentes e essa instabilidade causada, deve por si só, afastar Bolsonaro do Patriota e expor o racha dentro do partido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *