O tempo ideal de intervalo e previsto na bula para a vacina da Pfizer é de 21 dias

O ministro da saúde confirmou nesta semana que irá rever o intervalo de tempo adotado entre as duas doses da vacina Pfizer de 3 meses para 21 dias como recomenda a bula.

O prazo havia sido esticado pelo Programa Nacional de Imunização (PNI) com a alegação de que o imunizante alcançaria mais pessoas no início da campanha de vacinação contra o COVID-19. É importante salientar que a garantia da qualidade da imunização depende diretamente do cumprimento das diretrizes definidas pela fabricante.

Muitos brasileiros que foram vacinados com este medicamento, reclamam da alteração do prazo, pois, a qualidade da imunização por ter ficado comprometida.

A vacinação contra COVID-19 no Brasil foi iniciada no dia 17 de janeiro de 2021, quando o país já contava 210 mil mortos pela doença.

O Instituto Butantan importou as primeiras 6 milhões de doses da CoronaVac em uma colaboração com a empresa chinesa Sinovac Biotech. Atualmente no País, 42.122.692 de brasileiros já estão totalmente vacinados e, 101.551.524 de pessoas receberam ao menos uma dose.

Ao revisar a recomendação para 21 dias, além de seguir o fabricante, há uma estratégia de conter a cepa Delta. Seguindo o prazo de 3 meses, uma única dose garante apenas 10% de proteção, segundo estudo do Instituto Pasteur, da França. A taxa chega em 95% se obedecida a bula.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *